CRIAR UMA INDÚSTRIA DE CONSTRUÇÃO CIRCULAR

Uma Economia Circular é uma alternativa à economia linear que depende da fabricação, uso e disposição de bens, incentiva o uso ideal de recursos, extraindo o valor máximo, incluindo recuperação e regeneração após o uso.

Além de criar novas oportunidades de crescimento, uma economia mais circular pode reduzir o desperdício, impulsionar a maior produtividade de recursos e oferecer uma economia muito mais competitiva.

SOBRE O PROJETO

ENQUADRAMENTO

O setor de construção civil e as diversas atividades que desenvolve resultam no consumo intensivo de matérias-primas e na produção de elevados quantitativos de Resíduos de Construção e Demolição (RCD).

A Associação Smart Waste Portugal (ASWP) assume a problemática dos RCD como um dos grandes desafios no setor dos resíduos em Portugal, identificando a necessidade de estratégias de comunicação e sensibilização dirigida aos consumidores, aos municípios, aos agentes económicos (e.g. setor da construção) e aos operadores de gestão de resíduos.

É neste contexto que está ser desenvolvido o Projeto Construção Circular (PRCD – Prevenção dos Resíduos de Construção e Demolição), promovido pela ASWP e financiado pelo Fundo Ambiental.

DESCRIÇÃO DO PROJETO

O projeto tem como objetivo promover ações de educação dirigidas aos diversos agentes ao longo da cadeia associada aos RCD, apoiando a sua interação, de forma a promover uma organização da cadeia de valor mais sustentável, em linha com os princípios da economia circular.

Este projeto aposta assim na sensibilização para a prevenção da produção dos RCD assim como para a sua valorização, ao promover a sua incorporação na indústria e na construção, permitindo a diminuição da pegada de carbono dos setores, a redução da extração de recursos naturais e o desvio de resíduos para aterro.

Este projeto aborda também um tema de interesse público, representando um contributo importante na consciencialização dos cidadãos para a problemática das descargas ilegais dos RCD, que podem incluir resíduos perigosos, e que resultam em passivos ambientais e paisagens degradadas.

CONTRIBUTOS PARA A ENEA 2020

O projeto Construção Circular é financiado pelo Programa Apoiar uma Nova Cultura Ambiental do Fundo Ambiental, estando enquadrado pelas várias áreas-chave da Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020 (ENEA 2020).

Enquadramento do Programa PRCD com áreas-chave da Educação Ambiental

Tornar a Economia Circular
Acelerar a transição de uma economia linear, assente na extração, transformação, utilização e rejeição, para uma economia regenerativa de recursos, com o objetivo de reter tanto valor quanto possível de produtos, peças e materiais.
Impacto
  • A sensibilização para a valorização dos RCD e para a sua incorporação em setores como o da indústria e o da construção evita a extração de recursos naturais, promovendo o uso eficiente de recursos e contribuindo para o fecho do ciclo dos materiais.
  • A formação dos arquitetos e engenheiros incentiva o desenvolvimento de planos de prevenção de RCD em projetos de construção que incluem o conceito de ecodesign nos materiais de construção utilizados e processos de desconstrução e desmantelamento mais eficientes.

Valorizar o Território
Fomentar uma cultura cívica territorial que considere o ordenamento do território e a conservação e valorização do património - natural, paisagístico e cultural - que nos permita viver bem dentro dos limites do Planeta.
Impacto
  • A participação passiva do público no curso online resulta no aumento da sensibilização da sociedade cívica relativamente às más práticas realizadas no âmbito das atividades de produção de RCD e à exigência de fiscalização das mesmas.
  • Proteger a paisagem e os valores naturais de descargas ilegais de RCD, que podem incluir RCD perigosos, bem como regenerar paisagens degradadas através da requalificação paisagística (e.g., pedreiras abandonadas)

Descarbonizar a sociedade
Promover o desenvolvimento de uma sociedade resiliente e de baixo carbono, assegurando uma trajetória sustentável de redução das emissões nacionais de gases com efeito de estufa (GEE) e de adaptação às alterações climáticas
Impacto
  • A formação para a incorporação dos RCD na cadeia de valor, como por exemplo, no processo de fabrico de cimento (indústria cimenteira intensiva em emissões de CO2) poderá resultar em processos industriais com emissões mais reduzidas de GEE resultantes da utilização de resíduos descalcinados.

Entidades Envolvidas

Smart Waste
Associação Smart Waste Portugal

A Associação Smart Waste Portugal (ASWP) é uma Associação sem fins lucrativos, criada em maio de 2015, que tem por objeto criar uma plataforma de âmbito nacional, que potencie o resíduo como um recurso, atuando em toda a cadeia de valor do Setor, promovendo a Investigação, o Desenvolvimento e a Inovação, potenciando e incentivando a cooperação entre as diversas entidades, públicas e privadas, nacionais e não nacionais.

3Drivers
3DRIVERS – Engenharia, Inovação e Ambiente

A 3DRIVERS – Engenharia, Inovação e Ambiente é uma consultora ambiental com uma experiência acumulada de cerca de 14 anos de atividade de prestação de serviços de consultoria na área da gestão de resíduos em Portugal. Apresenta como objetivo último o de promover a sustentabilidade das suas atividades, colocando o enfoque na avaliação e melhoria do desempenho ambiental de sistemas, produtos e serviços.

FEUP
FEUP – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

A Faculdade de Engenharia (FEUP) é a maior das 15 escolas que constituem a Universidade do Porto. No âmbito do Portugal2020, a FEUP tem em curso cerca de 100 projetos de I&D em parceria com empresas. Como membro da rede BIN@ – Business and Innovation Network – promove a cooperação na investigação aplicada, a inovação aberta e a organização de missões científicas e tecnológicas.

RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO

Segundo o Regime Geral da Gestão de Resíduos (Decreto-Lei n.º 178/2006, de 5 de setembro), os Resíduos de Construção e Demolição, ou RCD, são todos os resíduos provenientes de obras de construção, reconstrução, ampliação, alteração, conservação e demolição e da derrocada de edificações.

Os principais materiais presentes nos RCD podem ser classificados em três grandes grupos

Definição e Composição dos RCD’s

Inertes

Betão, betão armado, tijolos, telhas, azulejos, porcelanas, vidro, metais ferrosos e não ferrosos, pedra, asfalto e terra; etc.

Materiais Orgânicos

Papel, cartão, madeira e plásticos; etc.

Materiais Compósitos

Tapetes, revestimentos de paredes de gesso, material elétrico, madeira prensada ou envernizada, etc.

Instalações que recebem RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO

Se pretende desfazer-se dos resíduos de construção e demolição que foram gerados em pequenas obras que tenha feito em casa, sem necessidade de licenciamento, tem a opção de os entregar diretamente nos Ecocentros (caso o volume não ultrapasse 1m3) ou nas instalações do aterro sanitário da sua área de residência.

Links úteis

Construção Circular

Porque é importante?

O setor da construção civil é responsável por uma percentagem considerável de resíduos produzidos em Portugal. A má gestão dos RCD resulta na deposição ilegal de resíduos no ambiente, resultando em paisagens degradadas e na criação de passivos ambientais. Uma parte destes resíduos podem ser perigosos contendo amianto, metais pesados ou solventes, resultando assim num risco considerável para o ambiente e para a saúde humana.

Os RCD têm o potencial de substituírem matérias-primas evitando a sua extração, resultando em benefícios ambientais, nomeadamente a diminuição da pegada de carbono e o desvio de resíduos para aterro.

A implementação de um modelo de Construção Circular que previna a produção dos RCD e incentive a sua valorização é fundamental para a transição do setor para uma Economia Circular, contribuindo para o fecho do ciclo dos materiais.

O que é?

A Construção Circular é mais do que a reciclagem dos materiais de construção após a demolição de um edifício. Este conceito aplica-se à totalidade da cadeia de fornecimento, sendo que os arquitetos, engenheiros e empreiteiros têm o papel fundamental de garantir que o design dos edifícios tem em consideração a reutilização dos materiais utilizados.

A Construção Circular é enquadrada pelos princípios da Economia Circular, em que há uma redução na utilização de matérias-primas virgens e em que os produtos e materiais são reutilizados sempre que possível.

Atores envolvidos

A atual organização do setor da Construção deve ser alterada, ao nível de cada interveniente, para ser possível atingir um modelo de Construção Circular.

ATIVIDADES

A Smart Waste Portugal tem vindo assim a apoiar a interação dos vários atores com o objetivo de obter uma melhor e mais sustentável organização da cadeia de valor em linha com os princípios da Economia Circular, estando a desenvolver um conjunto de ações:

ATIVIDADES

Estudo de caracterização do setor dos RCD

Um dos grandes entraves à resolução deste problema passa pela dificuldade em contabilizar os resíduos produzidos neste setor, existindo uma subestimação nas estatísticas oficiais da produção de resíduos. Para analisar esta questão, o Grupo de Trabalho criado no âmbito deste projeto está a desenvolver um estudo de Caracterização do Setor dos RCD em Portugal. Este estudo pretende também fazer um levantamento dos estudos desenvolvidos na área, fazer um enquadramento legislativo e estratégico do setor, avaliar os destinos de tratamento dos RCD e desenvolver uma análise estratégica sobre o setor, de forma a identificar as oportunidades e barreiras a enfrentar.

Seminários

Estão a ser desenvolvidos seminários destinados às autarquias, empresas de construção e reabilitação, gabinetes de projetos, operadores de gestão de resíduos, estudantes universitários da área da engenharia e arquitetura, tendo como objetivos promover a utilização das melhores práticas de gestão de RCD e a sua incorporação na cadeia de valor por parte das empresas e incentivar melhorias da operacionalização das áreas de competências da administração pública.

Já foram realizados 3 seminários Construção Circular e irão ser realizados mais dois na Região Centro e na Região Norte, cujas datas irão ser disponibilizadas em breve.

1º Seminário - Área Metropolitana do Porto (27.11.2017)

2º Seminário - Região do Algarve e Alentejo (23.01.2018)

3º Seminário - Região de Lisboa e Vale do Tejo (22.03.2018)

Visitas Técnicas

Estão a ser organizadas visitas técnicas a instalações de processamento de RCD e a operadores de gestão de resíduos que os reciclem. Estas visitas serão abertas ao público geral e de participação gratuita.

Obras do Batalhão dos Sapadores de Bombeiros do Porto (27.11.2017)

Loteamento de construção sustentável certificada - CM de Beja (23.01.2018)

Instalações da Transucatas e da Extruplás (22.03.2018)

Curso online

A FEUP está a desenvolver um massive open online course (MOOC) a ser integrado numa plataforma educativa de acesso público. Este foca-se na problemática dos RCD e na possibilidade da sua integração numa cadeia de valor dividindo-se em 4 temáticas:


Introdução aos RCD

Processamento e Tratamento dos RCD

Enquadramento Legislativo e Gestão da Qualidade

Utilização dos RCD em obra

Masterclasses

Realizou-se na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa uma masterclass sobre RCD com a colaboração da Professora Graça Martinho e Mário Ramos. Irão ocorrer mais três masterclasses no Instituto Superior Técnico de Lisboa, na Universidade de Coimbra e na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, com foco nas estratégias de prevenção e valorização de RCD, a serem dadas por professores de renome na área dos RCD.

CONTACTO